Hugo Leão Advocacia - Advocacia com ética, zelo e valorização da pessoa humana

Últimas Notícias

Informação Processual

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

CSJT faz seminário sobre desafios da gestão de documentos arquivísticos digitais

O Conselho Superior da Justiça do Trabalho realizou, na quarta-feira (7) e na quinta-feira (8), em Brasília (DF), o seminário Desafios da Gestão de Documentos Arquivísticos Digitais para a próxima década – Perspectivas para a Justiça do Trabalho. Na abertura, o secretário-geral judiciário do Tribunal Superior do Trabalho, Valério Augusto do Carmo, externou a satisfação de o TST receber, em sua sede, a 8ª edição da Semana da Memória, aberta, na terça-feira (6), com a exposição Constituição Cidadã e a Ampliação do Acesso à Justiça do Trabalho. Para Valério, o evento propicia uma reflexão sobre os desafios que o futuro da gestão da informação reserva e sobre as alternativas para o enfrentamento dos obstáculos que certamente surgirão. “O resultado é o fortalecimento dos laços entre os órgãos da Justiça do Trabalho e a consolidação de um ambiente propício ao compartilhamento de conhecimentos e práticas necessários à gestão responsável e eficiente da informação que produzimos”, afirmou. Modernidade Na primeira palestra, o professor Renato Tarciso Barbosa de Sousa, da Universidade de Brasília (UnB), discorreu sobre aspectos teóricos, metodológicos e práticos importantes para a gestão de documentos arquivísticos digitais e os respectivos desafios para a próxima década. O professor procurou contextualizar o tema e, para isso, expôs o conceito de gestão de documentos, explanou como surgiu esse conceito e como ele foi pensado inicialmente. Em seguida explicou como ocorre a gestão de documentos hoje no Brasil e qual a realidade arquivística brasileira no ambiente digital. Por fim, apresentou questionamentos, propostas e considerações finais, conclamando os ouvintes a compreender e aceitar as novidades. “Para evoluirmos na gestão de documentos nós precisamos nos desapegar das velhas ideias, de alguns conceitos que barram o entendimento dos novos argumentos.”  Apoio do CSJT No período da tarde, a abertura dos trabalhos ficou a cargo da secretária-geral do CSJT, Márcia Lovane Sott, que destacou a importância da parceria do Conselho com os Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), visando à discussão sobre gestão de documentos, mediante a exposição de problemas, o compartilhamento de experiências e o desenvolvimento de soluções. A secretária-geral ressaltou que o CSJT tem realizado acordos com os TRTs para o desenvolvimento de centros de memória, para a implantação do sistema ATOM e para a oferta contínua de cursos a distância, fatos que demonstram a importância e valoração do tema no âmbito do TST/CSJT. “A administração do ministro Brito Pereira percebe a gestão de documentos como uma atividade que ajuda a garantir o acesso à informação, apoia o processo de tomada de decisão e potencializa a transparência dos órgãos da Justiça do Trabalho, sendo uma forte aliada na busca da otimização na gestão orçamentária”, registrou. Processos judiciais eletrônicos O membro do Comitê Nacional do Processo Judicial Eletrônico (PJe) da Justiça do Trabalho e coordenador de Gestão Documental do CSJT, Leonardo Neves Moreira, ministrou palestra sobre gestão dos processos judiciais eletrônicos. Ele destacou os principais pontos positivos do PJe e as melhorias que ainda precisam ser feitas. “Uma das melhores coisas em relação ao PJe, é que você pode acessar os processos de casa”, destaca Leonardo. ATOM Logo em seguida, o supervisor da Seção de Divulgação da Memória Institucional da Coordenadoria de Gestão Documental e Memória do TST, Reginaldo Pereira Matos, falou a respeito da ferramenta arquivística ATOM, que faz parte da Arquivoteca Digital do TST. Para implantar a ferramenta e customizar, é preciso de profissional de Tecnologia da Informação (TI), porém nem todos os Tribunais disponibilizam de profissional capacitado para isso. Reginaldo Matos falou sobre algumas soluções para essas situações, uma delas é capacitar pessoas para implantar a ferramenta. “É bem melhor capacitar do que pagar outro software. Isso pode sair mais caro”, explica Reginaldo. Arquivos de imagem e gerenciamento mídia Anna Carolina Vilela e Saulo Lourenço Gomes, coordenadora e supervisor técnico de Rádio e TV do TST, apresentaram uma palestra sobre arquivos de imagens do TST e sistema de gerenciamento de mídia da TVTST. As atribuições da CRTV foram explicadas por Anna Carolina, que falou também sobre as funções do arquivista da TVTST. A coordenadora também destacou que em 2016 foi preciso fazer uma parceria com o setor de Gestão Documental, porque surgiram limitações de pessoal e de espaço físico para os arquivos de imagens. O supervisor técnico falou sobre o sistema de MAM da empresa VSN, utilizada desde 2016 na CRTV. Saulo Gomes explicou o objetivo do MAM, que controla a definição de campos de metadados, armazenamento, acesso e pesquisa. Além disso, ele mostrou a interface do sistema e como se faz a inserção de arquivos. Planejamento, organização e direção de Memorial Na última atividade do dia 7/11, o Seminário promoveu Mesa Redonda sobre como planejar, organizar e dirigir Memoriais da Justiça do Trabalho, diante dos caminhos para virtualização. Os palestrantes, Cláudia Torquato Farias, Cristina Paula Pera e Luiz Fernando de Almeida, apresentaram três experiências. Cláudia, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 24ª Região, detalhou o planejamento e a implantação do novo memorial do Tribunal. Ele será inaugurado em 19/11/2018, com acervo digital e peças físicas sobre o trabalho no Mato Grosso do Sul, a história e a realidade da Justiça do Trabalho nesse Estado. Memorial do TST O coordenador de gestão de documentos do TST e do CSJT, Luiz Fernando relatou a implantação do novo memorial do TST, mais do ponto de vista do planejamento. Ele explicou que a equipe fez estudo de viabilização, analisou o contexto do mercado e de instituições, desenvolveu produtos e serviços de memória institucional e organizou/implantou o projeto executivo. “Todo o Memorial segue os princípios da tecnologia e da acessibilidade. A manutenção do espaço ocorre com base em plano de governança elaborado por equipe multiprofissional”, explicou o coordenador. TRT da 15ª Região Cristina Paula Pera, do TRT da 15ª Região, com sede em Campinas (SP), palestrou sobre a reestruturação do Centro de Memória do Tribunal. Ela apresentou as etapas da reestruturação, entre elas os projetos (conceitual, arquitetônico e visual), com vistas a contar a história de forma interativa e por meio de novas tecnologias. O trabalho envolveu persas unidades do TRT e teve a cooperação de outras instituições públicas e de servidores que participaram de projeto para fornecer fotos ao acervo. Gestão Documental e História da Justiça do Trabalho No último dia, o ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, presidente da Comissão de Documentação do TST e coordenador do Comitê Gestor do Programa de Resgate da Memória da Justiça do Trabalho, discorreu sobre Gestão Documental e História da Justiça do Trabalho. O magistrado destacou a importância de registrar e preservar documentos da Justiça do Trabalho. "O que vai ficar para o futuro não é somente o que foi feito na história, mais também o que foi registrado dessa história". Para ele, a partir do momento em que são registrados e preservados documentos históricos, é possível contar, sem parcialidade, a história de uma instituição.
08/11/2018 (00:00)
Visitas no site:  498644
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.